Seja bem-vindo(a) ao Site da Paróquia São Geraldo

Acesse nossas Redes Sociais

Notícias

21/01 Notícias da Igreja Arcebispo da Metropolia Católica Ucraniana São João Batista faz apelo para oração pela paz na Ucrânia
Compartilhar

Diante das ameaças de invasão militar que a Ucrânia vem sofrendo por parte da Rússia, o arcebispo da Metropolia Católica Ucraniana São João Batista, dom Volodemer Koubetch, faz um apelo para que as Igrejas Católicas do Brasil – do rito latino e dos ritos orientais – se unam em oração pela paz no Leste Europeu, especialmente na Ucrânia.

Desde 2014, a Ucrânia vive uma situação conflituosa com a Rússia, o que já resultou em mais de 14 mil mortos. O arcebispo recorda que mais de meio milhão de brasileiros são descendentes ucranianos e muitos têm família na Ucrânia, por isso essa é uma questão que também diz respeito ao Brasil, como país e como Igreja.

Dado que dia 22 de janeiro se comemora o “Dia da Unificação da Ucrânia”, dom Volodemer sugere que nos dias 22 e 23 de janeiro, nas celebrações da Santa Missa, seja colocada a intenção de um fervoroso pedido de unidade, prosperidade e paz, em apoio à independência da Ucrânia e para impedir uma nova invasão russa.

Abaixo, segue a carta na íntegra:

Às Igrejas Católicas no Brasil: do rito latino e dos ritos orientais
PEDIDO DE ORAÇÃO PELA PAZ NA UCRÂNIA

Em solidariedade ao povo e nação ucraniana e à Igreja que sofre na Ucrânia, tanto a Latina quanto a Bizantina, em nome da Metropolia Católica Ucraniana São João Batista, com sede em Curitiba (PR), e também da Representação Central Ucraniano Brasileira, encabeçada pelo Dr. Vitório Sorotiuk, venho humildemente solicitar a todas as Igrejas Católicas no Brasil – a latina e as orientais melquita, maronita, armena e a própria Igreja Católica Ucraniana – congregadas na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a orarem pela paz no Leste Europeu e, principalmente, na Ucrânia.

Desde 2014, a Ucrânia padece com a ocupação ilegal da Crimeia e com a guerra de agressão nas províncias do leste ucraniano de Donetsk e Luhansk. Esta guerra já custou à Ucrânia mais de 14.000 mortos, mais de 30.000 feridos e 1,5 milhão de deslocados internos. Há vários meses, a Rússia está novamente ameaçando uma nova invasão do território soberano ucraniano para restabelecer seu antigo império de dominação, escravidão e morte.

Os ucranianos fazem parte da nação brasileira. Mais de meio milhão de brasileiros são descendentes de ucranianos e tem suas famílias na Ucrânia, sob a ameaça russa. A questão ucraniana é também um assunto do Brasil, como país e como Igreja. O Brasil é uma nação democrática, hospitaleira, multicultural, solidária e cristã, cujo povo sempre demonstrou enorme solidariedade diante dos sofredores e atuou exemplarmente em frentes humanitárias.

22 de janeiro é o Dia da Unificação da Ucrânia, uma ocasião apropriada para intensificar o humanismo e a solidariedade. Diante da situação dramática vivida pelos nossos irmãos e irmãs ucranianos, peço que nos dias 22 e 23 de janeiro, nas celebrações da Santa Missa, seja colocada a intenção de um fervoroso pedido de unidade, prosperidade e paz, em apoio à independência da Ucrânia e para impedir uma nova invasão russa.

Confiante na força da oração, agradeço e peço que a bênção e a paz de Deus alcancem os vossos corações.

Dom Volodemer Koubetch
(Arcebispo da Metropolia Católica Ucraniana São João Batista)

Padre Valdecir Badzinski
(Secretário executivo da CNBB Sul 2)

Com informações do regional Sul 2

CNBB
Imagem capa: Pixabay

VEJA TAMBÉM