Seja bem-vindo(a) ao Site da Paróquia São Geraldo

Acesse nossas Redes Sociais

Notícias

23/02 Notícias da Igreja Arquidiocese de Montes Claros elege novo Administrador Diocesano
Compartilhar

O Colégio de Consultores reúne na Sede dos Vicariatos em 18 de fevereiro, para a Eleição do Administrador Diocesano. O Presbítero eleito é o Monsenhor Silvestre José de Melo, que assume a administração da Arquidiocese até nomeação de novo arcebispo para a Arquidiocese de Montes Claros (MG).

Que Maria Mãe da Igreja e São Pio X interceda pelo administrador Arquidiocesano para que exerça com solicitude e amor a missão que lhe foi confiada e que tenha sempre os auxílios celestes neste tempo de missão de governar interinamente a Arquidiocese de Montes Claros.

Atributos do Administrador Diocesano

Quando uma sede episcopal fica vacante, o Colégio de Consultores assume o governo e dentro de uma semana elege um sacerdote da Diocese com mais de 35 anos, destacado na Doutrina e na prudência, para ser o administrador provisório, até que seja empossado na referida sede o novo bispo.

“O Administrador diocesano tem os direitos e goza da potestade do Bispo diocesano, com exclusão de tudo aquilo que por sua mesma natureza ou pelo direito canônico esteja excetuado” (427§1).

Compete a ele residir dentro da Diocese e está obrigado a aplicar a Missa “pro populo”, manter as decisões tomadas pelo Bispo, evitar inovações pastoral ou administrativo, sem subtrair, destruir ou alterar qualquer documento da Cúria.

Antes de um ano de governo, ele não poderá conceder excardinação ou incardinação de clérigos na Diocese, nem traslado a outras Dioceses. Também não pode: remover o ecônomo; o Vigário Judicial; erigir associações públicas; destituir Chanceler e Notários sem o consentimento do colégio de consultores; encomendar uma paróquia a Congregações ou Institutos Religiosos.

Compete-lhe: dar autorização (dimissórias) para ordenar seminaristas da diocese com o consentimento do Colégio de Consultores, não aos que o bispo tenha vetado; confirmar a indicação de sacerdotes já destinado às paróquias e, após transcorrido um ano de vacância, poderá nomear párocos; com justa causa pode transferir vigários paroquiais. Apenas uma razão extremamente grave lhe permite abrir o arquivo secreto da Cúria.

Enfim, assessorado pelo Colégio de Consultores, o Administrador Diocesano deve ser verdadeiro pastor do povo de Deus, zeloso administrador dos bens diocesanos, e manter espírito fraternal junto aos Presbíteros. Ele pode renunciar, mas apenas a Santa Sé pode destituí-lo.

Monsenhor Silvestre José de Melo

O Vigário Geral da Arquidiocese de Montes Claros, Monsenhor Silvestre José de Melo, é o presbítero eleito para ser o Administrador Diocesano da Arquidiocese de Montes Claros. Com 38 anos de sacerdócio, Monsenhor Silvestre, também era Assistente Episcopal para os Diáconos da Arquidiocese de Montes Claros e colaborador Pastoral da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em Montes Claros – MG. Porém, em sua vida sacerdotal destaca seu trabalho junto ao Seminário Maior Imaculado Coração de Maria. Foi o primeiro reitor do Seminário e zelou por essa missão até novembro de 2020.

Comunicação Arquidiocese de Montes Claros

CNBB Leste 2

VEJA TAMBÉM