Seja bem-vindo(a) ao Site da Paróquia São Geraldo

Acesse nossas Redes Sociais

Notícias

11/02 Notícias da Igreja Colocar-se ao lado de quem sofre
Compartilhar

Convite não só para ministros e agentes de pastoral, mas para todo batizado que responda à caridade operosa e concreta, que responde positivamente ao chamado de Jesus: “Estive doente e visitaste-Me”.

Dom Roberto Francisco Ferreria Paz – Bispo Diocesano de Campos (RJ_

Há 30 anos, o Papa João Paulo II instituía o Dia Mundial do Enfermo, despertando para o sentido redentor do sofrimento humano e agregando as instituições sanitárias católicas e civis no chamado à solicitude e atenção para com os enfermos e quantos cuidam deles. Neste ano 2022, o Papa Francisco apresentou a mensagem, para esta data, com o tema evangélico “Sede misericordiosos como o vosso Pai é misericordioso” (Lc 6,36).

Convida-nos a voltar nosso olhar para o Deus rico em misericórdia que sempre acolhe seus filhos com imensa ternura, protegendo e cuidando da nossa vida, plenificando-a no Espírito Santo. Tanto amou o mundo que enviou seu Filho Unigênito para dar aos enfermos o testemunho de seu amor transbordante, transparecendo entre nós o rosto da benevolente e infinita misericórdia do Pai. Jesus vai ao encontro das pessoas que padeciam de várias doenças, soerguendo-as e curando-as, mostrando o Evangelho da vida em abundância. Seguir a Jesus, o Médico divino, é tornar-se como Ele, compassivo e disponível, tocando a carne sofredora do Cristo.

Esta trilha generosa foi a de muitos profissionais da saúde, que não mediram esforços nem reservas para estar juntos aos doentes, sendo sinal das mãos misericordiosas do Pai. Com eles aprendemos que o doente é sempre mais que a doença e junto à ciência nunca devemos esquecer-nos da história da pessoa, as suas narrativas e ansiedades.

Nessa perspectiva, os lugares de tratamento tornar-se-ão casas de misericórdia, estalagens do samaritano, abrindo, de par em par, as portas, especialmente para os excluídos, os mais fragilizados e abandonados. Converter-nos mais profundamente à misericórdia pastoral, o que implica em vivenciar e ser presença e proximidade para os doentes em todas as situações, oferecendo junto aos cuidados terapêuticos os cuidados espirituais, a benção, a Palavra, os sacramentos de cura, e o processo de caminhar na esperança rumo à santidade e maturidade cristã.

Convite não só para ministros e agentes de pastoral, mas para todo batizado que responda à caridade operosa e concreta, que responde positivamente ao chamado de Jesus: “Estive doente e visitaste-Me” (Mt 25,36). Maria, Saúde dos Enfermos, rogai por nós!

Vatican News
Imagem capa: Pixabay

VEJA TAMBÉM