Pastoral do Turismo celebra dia com turista com alerta sobre turismo consciente

14 de junho de 2021

Conhecer lugares e culturas diferentes, pessoas novas, experimentar outras sensações, descansar são alguns dos objetivos dos turistas. Aqueles viajantes e exploradores de todo o mundo que saem de sua residência para destinos turísticos.

Para celebrar a pessoa ou grupo de indivíduos que gostam de viajar, o dia 13 de junho foi escolhido para ser o dia do turista. De acordo com a Fundação Biblioteca Nacional, a data homenageia viajantes e exploradores de todo o mundo e visa ampliar a conscientização sobre medidas básicas a serem tomadas em viagens. A Organização Mundial de Turismo define turista como a pessoa que vive em um local diferente por menos de um ano, geralmente com o objetivo de conhecer lugares e pontos turísticos.

De acordo com a Pastoral do Turismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), celebrar o turismo é celebrar uma necessidade humana e um direito.

“Não celebramos uma atividade comercial. O descanso é necessidade humana. A pessoa precisa sair, viajar, ir ao encontro do diferente. Além de ser um direito universal do cidadão que deveria ser subsidiado para que todos tivessem acesso ao turismo”, explica o coordenador nacional da Pastur, padre Manoel Oliveira Filho.

Desde o início da pandemia da Covid-19 – no Brasil no final de fevereiro de 2020, o setor de turismo foi um dos primeiros a ser afetado. As férias, segundo padre Manoel, num contexto de normalidade, sempre foram marcadas por aglomerações e festas. Com a pandemia, foi necessário manter o distanciamento social e, em muitos momentos, manter-se em quarentena para evitar a circulação do vírus no país.

Sobre as férias do mês de janeiro de 2021, padre Manoel escreveu que aquelas férias seriam e deveriam ser as férias do cuidado. Na ocasião, segundo ele, “se em todas as férias, e em todas as situações de viagens de todos os anos, devemos ser guiados pela cultura do cuidado com as pessoas, com a cultura dos povos e com a Natureza mais do que nunca, neste ano, esta preocupação deve estar presente na vida de todas as pessoas”.

Essa afirmação do coordenador nacional da Pastur serve para qualquer momento desse contexto de pandemia em que o mundo, em especial o Brasil, enfrenta. O padre afirma que independente do mês, enquanto a pandemia não for controlada, é necessário reaprender a tirar férias.

“Aqueles que optarem por viajar mesmo neste contexto de pandemia é mais do que necessário observar as regras sanitárias de cada cidade e cumprir rigorosamente as exigências do uso de máscara, álcool em gel, evitar aglomerações e manter o distanciamento social”, ressalta padre Manoel.

História do Turismo

Na Grécia Antiga os deslocamentos para assistir as Olimpíadas eram uma das formas usuais de turismo. Já os antigos romanos costumavam se deslocar em busca de águas termais e para o lazer nas regiões costeiras. Na Idade Média essa forma de mobilidade sofreu uma retração e basicamente se limitou às peregrinações religiosas. Foi a partir da Revolução Industrial, no século XIX, que viajar por lazer tornou-se uma atividade econômica rentável.

Reprodução: Fundação Biblioteca Nacional

No Brasil, a atividade turística é responsável por mais de 8% da economia e gera renda para mais de sete milhões de trabalhadores diretos. Os destinos mais procurados são Rio de Janeiro, São Paulo e os estados da região Nordeste, principalmente Bahia e Pernambuco.

A Biblioteca Nacional (um importante ponto turístico na cidade do Rio) resgata a obra considerada o primeiro guia de viagens do Brasil, do fotógrafo imperial Revert Henrique Klumb, publicada em 1872.

“Doze horas em diligência – Guia do viajante de Petrópolis a Juiz de Fora” descreve com fotos e palavras a referida viagem e documenta a construção da Estrada União e Indústria – que liga as duas cidades –, considerada a primeira estrada pavimentada do país. O autor produziu ainda muitas iconografias sobre as cidades do Rio de Janeiro, Petrópolis e arredores.

Com informações da Fundação Biblioteca Nacional do Brasil
Agência Brasil
Foto: freepick

CNBB
FacebookWhatsAppTwitter