A Paróquia

Comunidade Evangelizadora.

Ide e Anunciai!



O que é Paróquia?


Nos primeiros séculos da Igreja, não existiam as paróquias; existiam apenas os bispos ou dioceses administradas pessoalmente por eles, legítimos sucessores dos apóstolos.

Assim, podemos dizer que cada diocese constituía uma paróquia, cuja matriz era a catedral, única igreja a possuir pia batismal. Os bispos, nas suas catedrais, eram auxiliados pelos padres para o serviço das celebrações e a administração dos sacramentos.

Com o crescimento do numero de fiéis nas grandes cidades e nas aldeias. Surgiu, então, a necessidade de construir Igrejas para atender esses fiéis, que, pela distância geográfica, nem sempre podiam freqüentar a matriz onde se encontrava o bispo nos grandes centros urbanos.

Para as igrejas distantes, os bispos enviavam padres, por turno, para fazerem o serviço ministerial, regressando depois à sede do bispo. Com o passar do tempo, o bispo confiou a um padre a administração de cada igreja, marcando-lhe um território para o exercício de seu ministério. Esse território é o que chamamos “paróquia”.

Comparando os tempos, percebemos que a paróquia nasce de uma necessidade pastoral, pois, com o crescimento do número de católicos e a dificuldade deles de chegarem á cidade, o bispo local já não tinha condições de atender a todos os seus fiéis, ainda que tivesse consigo os padres com os quais formava o presbitério.

Criaram-se então Igrejas titulares (Matriz) em regiões diversas da cidade e também no interior. Optou-se por multiplicar as paróquias em vez de multiplicar as dioceses. Assim foi criada a figura do pároco, aquele que representa o bispo em determinada região.

A paróquia no Brasil, sempre foi na cidade, ou seja, sua sede sempre esteve ali onde se encontrava a matriz, em redor da qual o povo se congregava. Na periferia e na zona rural existiam as capelas, onde a celebração dos sacramentos se realizava em períodos determinados. Já são muitas as dioceses que transformaram essas capelas em verdadeiras comunidades, numa mentalidade nova de compreensão da paróquia.

Numa visão geral da realidade, os dois termos às vezes se confundem: o pároco é a paróquia e a paróquia é o pároco. Falando de outra forma: tal pároco, tal paróquia. Toda a organização parece refletir a mentalidade e o jeito de ser do pároco: seu jeito de entender a igreja, suas devoções, seus costumes e gostos, suas crenças, seu Deus…

Quando isso se verifica, a Igreja perde a unidade, o que constitui campo propício para uma religiosidade fundamentalista. A liderança do pároco coloca a paróquia em torno de si, cria enraizamento e o apego aos feitos dele.

A Paróquia e às vezes a cidade é a projeção do próprio ego do pároco. Nessa estrutura não há espaço para o novo nem para o dialogo. É importante saber que pároco e paróquia têm identidades diferentes, mas um depende do outro.

Fala-se de co-responsabilidade. A paróquia que progride mesmo com a ausência do pároco é um sinal duma verdadeira comunidade organizada, Igreja-família de Deus. Tudo isso deve ser em perfeita comunhão com seu pastor legítimo, o pároco, representante do bispo no meio do povo de Deus.

Pároco e paróquia têm identidade diferente, embora um precise do outro. A satisfação do pároco deveria ser a independência da paróquia, ou seja, uma paróquia que progredisse mesmo com a ausência dele. E a alegria da paróquia seria ver no pároco uma pessoa livre, sustentando relações saudáveis e despertadoras da esperança de vida.

Leitura Bíblica: “Quem quiser ser o mais importante, sirva os outros e quem quiser ser o primeiro, seja o escravo de vocês: Vamos ler o que nos diz Mateus 20, 25-58”.


 


Histórico da Paróquia São Geraldo


A Paróquia São Geraldo foi criada no dia 7 de março de 2004, pelo bispo diocesano Dom Odilon Guimarães Moreira, sendo desmembrada da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, que por sua vez, desmembrou-se da Paróquia Cristo Rei. Foi a primeira paróquia instituída por ele.

Escolheu, por votação, o padroeiro São Gerado Magela, e está situada na Avenida das Flores, nº 885 bairro Bom Jardim, Ipatinga. A Paróquia é composta pelos bairros: Bom Jardim, Esperança e Ideal, com cerca de 50 mil habitantes e é composta das seguintes comunidades:


1) São Geraldo (Bairro Bom Jardim)

2) Atos dos Apóstolos (Bairro Ideal)  padroeiro São Lucas

3) Santo Antônio (Bairro Ideal)

4) Nossa Senhora das Graças (Bairro Esperança)

5) São Francisco de Assis (Bairro Esperança)

6) São José (Bairro Bom Jardim)

7) Sagrada Família (Bairro Bom Jardim)

8) Maria de Nazaré (Bairro Bom Jardim)

9) Nossa Senhora Aparecida (Bairro Bom Jardim)


Nos limites a nova paróquia tem as seguintes confrontações: com a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, pela Avenida José Júlio da Costa e a Rua Artur Azevedo, margeando o córrego Bom Jardim até a Rua Érico Veríssimo, salta o córrego Bom Jardim e a divisa segue pela rua que divide o bairro Esperança do bairro Cidade Nobre até o alto do morro. Limita-se com a comunidade do Caladinho, Coronel Fabriciano; descendo pelo morro que se situa atrás do Shopping do Vale, faz limite com a Paróquia Nossa Senhora da Esperança.

Recebeu como primeiro pároco Pe. Alex Banza Ilunga, da Congregação do Imaculado Coração de Maria (CICM) e primeiro vigário, Pe. Mbuyi Kapinga Alphonse, também, da mesma congregação. A paróquia, por meio de um acordo assinado pela Diocese de Itabira Coronel Fabriciano, será cuidada pela Congregação do Imaculado Coração de Maria (CICM).

Em sua primeira assembleia, diante de seus desafios e missão a cumprir, a paróquia São Geraldo Magela define seu rosto e projeta sua evangelização e a ação pastoral assumindo ser uma Igreja Acolhedora – Misericordiosa, Participativa e Missionária. Todas as comunidades, pastorais e movimentos, se propõem a seguirem, juntas, sem perderem este propósito.

Seguimos em caminhada e no dia 29/12/2005, por motivo de saúde, o vigário Pe. Alphonse deixou a paróquia. Em junho de 2007, quem assumiu o papel por um período de 1 ano, a pedido da congregação, foi Pe. Yohanes Karinus Laga . Ele permaneceu até o dia 16/6/2008, pois foi transferido para Filipinas, para completar sua formação.

No dia 24/10/2009, nasceu uma nova comunidade na paróquia, que recebeu o nome de São João Batista. A missa de instituição presidida por Pe. Alex , foi realizada na Rua Madressilva – B. Esperança – Grota do IAPI, local onde a comunidade iniciou sua caminhada. Em seguida, a comunidade instalou-se na rua Verônica, na casa de Valmira e Dote. Com a aquisição do terreno, hoje, a comunidade tem sede própria e se reúne na Rua Verônica 115 – B. Esperança.

No dia 10/12/2009, Pe. Richard Mbizi, da Congregação do Imaculado Coração de Maria passou a ser o novo vigário. Permaneceu na função até o dia 19/06/2011, foi enviado a Roma para formação.

Em abril de 2011 a paróquia é devolvida à Diocese pela Congregação do Imaculado Coração de Maria (CICM), que devido a problemas internos, ficou impossibilitada de manter uma equipe de padres na paróquia São Geraldo.

Em 26/4/2012 foi acolhido, como novo vigário paroquial, Pe. Dirceu Pacífico da Diocese de Itabira. Permaneceu na função até o dia 6/10/2012. Foi transferido para a Paróquia Cristo Libertador.

No dia 9/2/2013, a paróquia se despediu de Pe. Alex , que conduziu a mesma por um período de nove anos e agora segue novo caminho, recebeu a missão de guiar a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Itabira. E acolheu como novo pároco, em solenidade presidida por Dom Odilon , Pe. José Geraldo de Melo. Nessa data a Paróquia recebeu o Diácono Paulo Marcony, que permaneceu por um período de seis meses.

No dia 11/4/2013 nasceu mais uma comunidade, São Sebastião, no bairro Bom Jardim, solenidade presidida pelo Padre José Geraldo. A paróquia passou a ser composta por onze comunidades.

Em julho de 2016 a paróquia acolheu seu futuro vigário Pe. Sérgio Henrique Gonçalves. Pe. José Geraldo conduziu o rebanho geraldino até o dia 28/8/2016 e seguiu sua missão para a formação da nova Paróquia São João Batista, em Cachoeira do Vale em Timóteo.

No dia 5/9/2016 foram empossados, em solenidade presidida por Dom Marco Aurélio Gubiotti, Pe. Hideraldo Veríssimo Vieira como novo pároco e Pe. Sérgio Henrique Gonçalves novo vigário.

A paróquia recebe novo ardor e segue confiante na missão a ela confiada.

Até o atual momento (2016) a Paróquia São Geraldo recebeu 7 (Sete) Padres, sendo três como Párocos e quatro como Vigários Paroquiais.

Histórico feito por Pe. Hideraldo – 23/11/2016.


 


Conselho Pastoral Paroquial (CPP)


O Conselho Pastoral Paroquial ANIMA, ORIENTA e COORDENA a caminhada de toda a Paróquia. É composto pelos coordenadores das comunidades e de todas as pastorais, movimentos e serviços organizados em nível paroquial. É a maneira mais fácil de tecer a rede de comunidades e grupos, com o seguinte espírito:

a. O Conselho deve deixar-se marcar pelo ESPÍRITO DE FÉ e por profundo amor a Jesus Cristo e à sua Igreja, sendo sinal para toda a comunidade.

b. O Conselho deve distinguir-se pela PRÁTICA DO DIÁLOGO entre todos, atento ao bem comum, dando condições para que todos possam se expressar.

c. O diálogo visa RECONHECER OS VALORES vividos, CONHECER OS PROBLEMAS humanos e pastorais das Comunidades, REFLETIR sobre eles à luz do EVANGELHO e a DECIDIR prudente e corajosamente as ações pastorais.


FacebookWhatsAppTwitter