Dia do Padre

4 de agosto de 2020

Celebramos hoje, 4 de agosto, a memória de São João Maria Vianney. Sua biografia nos conta que apesar de nunca ter sido um bom aluno, tanto que aprendeu a ler somente aos 18 anos, ele conseguiu, chegar ao sacerdócio, devido ao seu testemunho de santidade.

Após sua ordenação, ele foi enviado para uma aldeia pagã, chamada Ars, onde infelizmente o povo era dado aos vícios, farras, blasfemavam muito, e como não tinham costumes religiosos, não guardavam os domingos. Nesse lugar, São João Maria Vianney foi um sinal estrondoso da graça de Deus na simplicidade. Seus biógrafos testemunham que ele fazia longas horas de adoração ao Santíssimo Sacramento e tinha sempre o rosário nas mãos.

Em pouco tempo, muitos se sentiram atraídos para a Igreja, e consequentemente para confissão, a qual São João Maria Vianney estava sempre disponível. Conta-se que ele chegava a atender confissão 18 horas seguidas, e que nos seus últimos anos de vida, atendia mais de 200 pessoas por dia.

Todavia, além de todo esse apostolado espiritual, São João Maria Vianney também não deixava de lado os trabalhos pastorais, inclusive para a restauração das igrejas, ele ajudava até mesmo na mão de obra. Por este luminoso testemunho de vida, São João Maria Vianney é invocado como o padroeiro dos padres, e, portanto, hoje também se comemora o Dia do Padre.

Sobre a pessoa do Padre, São João Maria dizia: “Quem recebeu vossa alma à sua entrada na vida? É o sacerdote. – Quem a sustenta para dar-lhe a força de fazer sua peregrinação? O sacerdote. – Quem há de prepará-la para se apresentar diante de Deus, purificando-a pela última vez no sangue de Jesus Cristo? O sacerdote, sempre o sacerdote”.

FacebookWhatsAppTwitter