São Tomé

3 de julho de 2021

Hoje, 3 de julho, a Igreja celebra a memória de São Tomé. Presente nos relatos dos quatro evangelistas, São Tomé aparece junto a Jesus em momentos importantes, mas sem dúvida, o que mais lhe deu evidência foi quando os discípulos lhe contaram que o Cristo havia ressuscitado (ele era o único que não estava presente na aparição de Nosso Senhor a eles), e a estes Tomé respondeu que só acreditaria se visse em Suas mãos o lugar dos cravos e tocasse em Seu peito.
Por esse motivo, muitos ainda o tem como símbolo da incredulidade, no entanto, é preciso ressaltar um detalhe desta história que geralmente passa desapercebido. Apesar da falta de fé de Tomé, Nosso Senhor Jesus fez questão de dar-lhe a prova que queria: “Oito dias depois, estavam os seus discípulos outra vez em casa, e Tomé com eles. Veio Jesus, estando as portas fechadas, pôs-se no meio e disse: A paz seja convosco. Dirigiu-se depois a Tomé e disse-lhe: Mete aqui o teu dedo e vê as minhas mãos, aproxima também a tua mão, e mete-a no meu lado, e não sejas incrédulo, mas fiel” (Jo 20, 19-31). Ao Mestre, Tomé respondeu com uma tocante profissão de fé: “Meu Senhor e meu Deus!” (Jo 20, 28).

Com este encontro o apóstolo tem sua vida completamente transformada, tanto que a tradição diz que com grande dedicação e fervor, São Tomé anunciou o Evangelho de Nosso Senhor na Índia, e por essa causa ali foi martirizado.

Para tanto, ao falar-nos deste Apóstolo, São Gregório Magno disse: “A incredulidade de Tomé não foi um acaso, mas prevista nos planos de Deus. O discípulo, que duvidando da Ressurreição do Mestre, pôs as mãos nas chagas do mesmo, curou com isso a ferida da nossa incredulidade”.

Neste dia, que possamos também nós sermos humildes e transparentes diante do Senhor. Apresentemos a Ele nossas dificuldades em crer, e peçamos que Ele revigore a nossa fé para que possamos testemunhar Sua presença onde quer que formos.

São Tomé, rogai por nós!

FacebookWhatsAppTwitter

Veja também